Suas Notícias
ÍNDICE


COLUNISTAS
Jussara Gottlieb
Social
Cândido Ocampo
Auditoria no novo Código
Kátia Alves
Pragas urbanas
Wilson Santos
Trânsito Brasil
Marcelinho
Blog do Marcelinho
Pedro Marinho
Blog do Pedro Marinho
Katia Alves
Publicada em 18/05/2010 às 10h32
Urubu

Urubu
 
           O urubu é uma espécie cercada de crendices, geralmente envolvendo má sorte e morte. Há quem acredite que se um urubu pousar sobre a sua casa é sinal de que alguém da família morrerá, ou que se esta ave defecar sobre alguém esta pessoa terá uma vida curta e coisas do tipo, mas esta última crença é falha, pois a ave costuma defecar só quando pousada, muitas vezes sobre seus próprios pés! Por outro lado uma dessas crenças ajuda a sobrevivência dos urubus, já que muita gente acredita que matar esta ave traz azar.
        Os urubus, aves da ordem Cathartiformes e da família Cathartidae, são aves de extrema importância na natureza por serem necrófagos, ou seja, são aves que se alimentam de animais já mortos. Eles são responsáveis pela eliminação de 95% das carcaças dispostas em um ecossistema, sendo a maioria delas de mamíferos. Diferente das demais aves, os urubus não possuem penas em sua cabeça, isso pode ser explicado devido ao fato de se alimentarem de carniça, e essas penas poderiam ser um ponto de contaminação ao entrarem em contato com a carcaça, repleta de microorganismos prejudiciais a sua saúde. K estðmago dos urubus secreda um suco gástrico qta neutraliza as bactérias u toxinas presentes na carne putref!ta. Além disso, !crediTa-se que os anticorpos de seu sistema imunOlógico fazem com que ele sEja imune a doenãas que atingiriam Os humanosse resoltessem adotar / menu indigesto. Cinbo espécies de urubus, como o urubu-da-mata, vivem no Brasil. Com o olfato m`hs !purado, o urube-de-cabeça-vermelha e o urubu-de-cabeça-amarela encontram primeiro a comida e são seguidos pelos demais. Mas quem come primeiro é o urubu-rei, que é maior e tem o bico mais forte, ideal para rasgar a pele da carcaça. Enquanto ele se esbalda, os demais como o urubu-de-cabeça-preta, se afastam da carniça. O urubu-rei tem esse nome por causa do bico forte e da exuberante coloração de sua cabeça. Como não tem glândulas sudoríparas para dissipar o calor, o urubu usa uma estratégia bem diferente das outras aves, para evitar que a temperatura de seu corpo suba demais: defeca e faz xixi nas próprias pernas! O cheiro ruim também afasta eventuais predadores. Além disso, ficam com o bico aberto para perder calor. Apesar de ser uma ave necrófagos e de odor desagradável, os urubus não transmitem doença aos seres humanos.    
      O urubu-de-cabeça-preta é uma das espécies cuja população mais cresce no país. Com exceção do urubu-rei, que é afetado com ações do homem, tanto na destruição de seu habitat como na sua captura para tráfico, as demais espécies não possuem predadores naturais, aumentando sua população de acordo com o crescimento de lixo produzido pelo homem.
       Um dos grandes problemas enfrentados com os urubus, é quando as populações desta ave freqüentam áreas próximas a aeroportos, principalmente se ficarem próximo a um aterro sanitário. A colisão de um avião em alta velocidade com uma ave deste porte pode ser desastrosa.
       A ave também invadiu o futebol. Um dos times mais populares do mundo, o Flamengo, adotou o urubu como símbolo. Nos anos quarenta, o mascote da torcida era o marinheiro Popeye, forte e valente. Mas, no final dos anos 60, o urubu desenhado pelo cartunista Henfil, quando trabalhava no Jornal dos Sports, e depois redesenhado por Ziraldo, conquistou a torcida. Em junho de 1969, um torcedor soltou uma ave com uma bandeira do time amarrada nos pés, no Maracanã, minutos antes do clube enfrentar o Botafogo. A torcida, apanhada de surpresa, aplaudiu. Como não vencia há quatro anos e o resultado foi dois a um para o Flamengo, o urubu passou a ser sinônimo de sorte. Desde estão, os flamenguistas adoram soltar urubu nos jogos.
 
                           Kátia Alves da Silva
                           Bióloga Pós-Graduada em Gestão Ambiental
 

MAIS NOTÍCIAS
04/04/2014Doenças relacionadas às enchentes
01/04/2014Doenças relacionadas as enchentes - Kátia Alves
06/08/2013Pragas urbanas
01/04/2013Morcegos
12/09/2012Carbono
02/09/2012Dia do Biólogo
14/08/2012Sanguessugas
19/07/2012Baba de caracol
11/11/2011Leptospirose
14/10/2011Biossegurança
29/07/2011Árvore, carvalho
24/06/2011Efeito estufa
06/06/2011Meio ambiente
06/06/2011Meio ambiente
06/06/2011Meio ambiente
04/06/2011Libélula
19/05/2011Limão
13/05/2011Enfermeiro
25/04/2011As minhocas
13/04/2011Leptospirose
06/04/2011Cigarro, o vilão
23/03/2011De remédio a veneno
15/03/2011Aranha Caranguejeira
08/03/2011Perigo em ambiente climatizado
22/02/2011Biodiversidade ameaçada
15/02/2011Cimento e poluição
02/02/2011Chuva ácida
17/01/2011Chuvas e doenças
06/01/2011Sucuri
28/12/2010FcAwuDFeywqV
17/12/2010Aranha Caranguejeira
08/12/2010Chuva ácida
22/11/2010Os jovens e as drogas
11/11/2010Poluição dos rios
09/11/2010Ibama fiscaliza madeireira no distrito do Pacarana
03/11/2010Resíduo hospitalar
28/10/2010O Carrapato
20/10/2010Insuficiência renal e hemodiálise
13/10/2010Árvores do Brasil
04/10/2010Chuva ácida
23/09/2010Mosca
15/09/2010Plantas medicinais
08/09/2010Polinização
31/08/2010Profissão biólogo
25/08/2010Afogamento
20/08/2010Queimadas e poluição
10/08/2010Água de lastro
27/07/2010Desenvolvimento Sustentável
21/07/2010Samaúma
14/07/2010Cobra peçonhenta e não peçonhenta
07/07/2010Formigas (I)
07/07/2010Formigas (I)
29/06/2010A Cigarra
23/06/2010As vacinas
16/06/2010Formigas
16/06/2010Formigas
16/06/2010Formigas
07/06/2010Doença de Chagas
31/05/2010Ameaça à Amazônia
24/05/2010Afogamento
18/05/2010Urubu
05/05/2010Barata
05/05/2010Barata
22/04/2010Prática esportiva ou tortura?
15/04/2010Sapo, rã e perereca
05/04/2010AGROTÓXICOS


WWW.SUASNOTICIAS.COM.BR
© 2010 - Todos os direitos reservados a SUASNOTICIAS