Suas Notícias
ÍNDICE


COLUNISTAS
Jussara Gottlieb
Social
Cândido Ocampo
Auditoria no novo Código
Kátia Alves
Pragas urbanas
Wilson Santos
Trânsito Brasil
Marcelinho
Blog do Marcelinho
Pedro Marinho
Blog do Pedro Marinho
Candido Ocampo
Publicada em 21/01/2013 às 18h39
Testamento vital (I)

 

A nova ordem social vem criando e alargando limites antes inimagináveis na relação humana. Após a carnificina da II Guerra Mundial, os Direitos Humanos entraram na pauta das importantes discussões globais.

   A mortandade em larga escala nos impôs a obrigatoriedade de preservar a vida a qualquer custo. As ciências médicas entraram numa fase de rápida e profícua evolução, incentivadas, inclusive, pelo próprio conflito mundial, que obrigou os profissionais da saúde a realizar procedimentos experimentais e cientistas a buscarem um lenitivo àquele sofrimento sem fim.

    Associada aos novos inventos tecnológicos, a medicina se instrumentalizou e permitiu ao profissional interferir nos desígnios da natureza. Procedimentos e terapias para manutenção da vida foram engendrados, levando ao prolongamento (em alguns casos, por tempo indefinido) da nossa existência.

   Nas últimas décadas, porém, surgiu um novo componente nessa discussão filosófica: o princípio da Dignidade da Pessoa Humana. 

   Sem, naturalmente, contrapor-se ao prolongamento da nossa existência, este novo elemento moral nos infundiu a idéia que a vida não tem muito valor se não for ornada com a sensação do auto-respeito, da honra, da nobreza..., enfim, da dignidade.

 e para os crentes o corpo é o templo do espírito, para os céticos é o depositário das nossas sensações. Viver é sentir. Viver bem é sentir-se bem. 

 O princípio da Dignidade da Pessoa Humana  também nos fez pensar que é justo que cada indivíduo tome suas próprias decisões sobre seu destino, desde que, logicamente, respeite a ordem estabelecida.

 Atento a todos esses componentes que formam o pensamento humano contemporâneo (Direito à  vida; Princípios da Dignidade e Autonomia do Paciente), o Conselho Federal de Medicina (CFM) vem, ao longo do tempo, regulamentando a conduta do médico frente a essas questões morais.

 O Código de Ética Médica revogado (Resolução CFM 1.246/88) já previa em seus capítulos IV e V, reservados aos direito humanos e a relação do profissional com os pacientes e familiares, que ao doente (ou seu representante legal), caberia, após os necessários esclarecimentos de seu médico, a decisão sobre a terapêutica a ser adotada.   

 Em que pese o referido diploma deontológico ter albergado o princípio da autonomia do paciente, limitou a sua aplicação até o estado de “iminente perigo de morte”, onde, doravante, cabia ao médico adotar todas as medidas para manutenção da vida, independente se essa obstinação terapêutica fosse inútil, ante o estado irreversivelmente terminal do doente, e, apenas, prolongasse o seu sofrimento.      

  Em 2006, no entanto, o CFM baixou a Resolução 1.805 (que após ser questionada judicialmente, foi mantida mediante o reconhecimento da sua legalidade),  que regulamentando a ortotanásia, dispõe que na fase terminal de enfermidades graves e incuráveis, é permitido ao médico, desde que respeitada a vontade do paciente ou de seu representante legal, limitar ou suspender procedimentos e tratamentos que prolonguem a vida do doente, garantindo-lhe os cuidados necessários para aliviar os sintomas que levam ao sofrimento.

O Código de Ética Médica em vigor, em harmonia com a resolução acima citada, fez referência à ortotanásia, desestimulando condutas médicas inúteis e desnecessárias.    

Em meados do ano passado, o Conselho Federal de Medicina fez publicar a Resolução 1.995/2012, que dispõe sobre as diretivas antecipadas de vontade, também conhecidas como “testamento vital”, considerando-as como o conjunto de desejos, prévia e expressamente manifestados pelo paciente, sobre cuidados e tratamentos que quer, ou não, receber no momento em que estiver incapacitado de expressar, livre e autonomamente, sua vontade.

 No próximo artigo, trataremos do testamento vital à luz da normatização do CFM e de todo o ordenamento jurídico brasileiro.

 

Cândido Ocampo, advogado atuante no ramo do Direito Médico.

candidoofernandes@bol.com.br

MAIS NOTÍCIAS
22/10/2014Consulta ou retorno ? Cândido Ocampo
12/08/2014Seguradoras e seus formulários -Cândido Ocampo
06/05/2014Ofensa escusável
10/04/2014É ético prometer a cura ? Cândido Ocampo
11/03/2014O Código de Ética Médica e o consentimento continuado
13/02/2014A consulta e as operadores de planos de saúde
14/08/2013Auditoria no novo Código
26/07/2013Desagravo profissional
05/07/2013Jornada e produção médicas
21/06/2013Alta hospitalar
22/04/2013Diagnóstico preditivo no novo Código
26/03/2013Escusa moral
11/03/2013Hospital: hipoteca social
02/03/2013Biogenética
04/02/2013Disponibilidade obstétrica
28/01/2013Cardiologia intervencionista
28/01/2013Testamento vital (II)
21/01/2013Testamento vital (I)
11/01/2013Formulário de seguradoras
11/01/2013Formulário de seguradoras
15/06/2012Diagnóstico de anencefalia
12/05/2012Receita médica legível
05/05/2012Cota racial: a oficialização do preconceito
20/04/2012Ancenfalia: venceu a razão
13/04/2012Prazo para consulta
08/03/2012Proteção da medicina (II)
02/03/2012 Proteção da medicina (I)
24/02/2012Legista no interior
24/02/2012Legista no interior
10/02/2012Porque o plantão de sobreaviso
03/02/2012Plantão
16/12/2011O assistente e o plantonista à distância
02/12/2011Relação médico-paciente
25/11/2011Abortamento de anencéfalo
18/11/2011Estagiário de Medicina
11/11/2011Formulário de seguro
21/10/2011Biogenética
08/10/2011Requisições de prontuário
22/09/2011Nomeação de perito
29/08/2011Contradição federal
09/08/2011Consulta médica
09/08/2011Consulta médica
09/08/2011Consulta médica
15/04/2011Medicina alternativa
08/04/2011Cardiologia intervencionista
01/04/2011Prescrição de órteses e próteses
25/03/2011Lentes de contato
18/03/2011Médico perito
12/03/2011Obrigação e resultado
08/03/2011Perda de uma chance
25/02/2011Atendimento pré-hospitalar
18/02/2011Transporte inter-hospitalar
11/02/2011Retorno de consulta
19/12/2010Infecção hospitalar
11/12/2010Consentimento continuado
03/12/2010Medicina preventiva
26/11/2010Erro profissional
19/11/2010Renúncia à assistência
16/11/2010Natureza obrigacional do anestesiologista
05/11/2010Autonomia do anestesiologista
29/10/2010Perda de uma chance
24/10/2010Interiorização da medicina
15/10/2010Honorários médicos
08/10/2010Diretoria técnica e clínica
24/09/2010Telemedicina
20/09/2010CRF realiza encontro de sucesso em Ariquemes
16/09/2010Desagravo público
11/09/2010Curso sobre prevenção às drogas será em outubro
10/09/2010Caução Hospitalar
03/09/2010Ato médico
28/08/2010Produção médica
16/08/2010Teoria do risco
06/08/2010Medicina preditiva
22/07/2010VEJA O QUE ACONTECE HOJE NAS NOVELAS
07/07/2010Formigas (I)
01/07/2010Espionagem usa técnica avançada para enviar mensagem
26/04/2010Fraco Ibope de Gugu causa crise na Record
05/04/2010Pronto socorro e Pronto Atendimento


WWW.SUASNOTICIAS.COM.BR
© 2010 - Todos os direitos reservados a SUASNOTICIAS