Roriz disse que a oposição quer "ganhar no tapetão", referindo-se à lei. "Eu não aceito. Vai buscar o voto na rua", declarou durante a convenção regional do PSC.

O candidato deu sua explicação para o risco da inelegibilidade. "Eu renunciei ao Senado para ser candidato a governador. Por isso, dizem que eu não tenho a ficha limpa. Não sei o que é ficha limpa, não tenho uma condenação", argumentou.

Roriz renunciou ao cargo de senador para escapar de um processo de cassação em julho de 2007, após ter sido apontado como beneficiário de um cheque de R$ 2,23 milhões.

De acordo com decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) deste ano, políticos que renunciaram a mandatos para fugir de punição ficam inelegíveis, o que deve ser avaliado quando da formalização das candidaturas --até 5 de julho.

Apoio a Serra

Apesar de Roriz já ter declarado apoio à candidatura de José Serra (PSDB) à Presidência, a referência ao tucano foi praticamente nula na convenção regional. Nos discursos, Serra não foi mencionado e não havia faixas ou cartazes indicando apoio ao PSDB.

Único a tocar no tema durante a tarde, o animador do palco lembrou a militância que o candidato que estava com Roriz era Serra.

Roriz saiu carregado pelos seguranças, tamanho o frisson causado pela presença do candidato. O grosso dos militantes que acompanharam a convenção --e que encheram o auditório e a frente do local-- foi levado por candidatos a deputado distrital.

Uma das mulheres que vestiam a camiseta do PSC disse que a maioria dos presentes procurava trabalho. "Muitos aqui estão desempregados, tentando arrumar alguma coisa."