Suas Notícias
ÍNDICE


COLUNISTAS
Jussara Gottlieb
Social
Cândido Ocampo
Auditoria no novo Código
Kátia Alves
Pragas urbanas
Wilson Santos
Trânsito Brasil
Marcelinho
Blog do Marcelinho
Pedro Marinho
Blog do Pedro Marinho
Katia Alves
Publicada em 15/04/2010 às 19h05
Sapo, rã e perereca

Os anfíbios são seres vivos que durante seu ciclo de vida passam por duas fases: uma aquática e outra terrestre. Esta espécie é classificada em dois grupos principais: anfíbios com cauda e sem cauda. Os que não possuem cauda (rãs e sapos) são mais desenvolvidos em relação aos que possuem (salamandras).
        
     Os anfíbios recebem esse nome pelo fato da maioria de suas espécies passarem uma fase da vida na água e outra fase na terra (anfo=duas; bio=vida). Esses animais, embora com particularidades típicas de cada grupo, possuem em comum a pele permeável e úmida, sem pêlos ou escamas externos. Esta, além de ser o principal local de troca de gases respiratórios, possui algumas glândulas que podem ser úteis à reprodução, outras, que mantém a pele úmida e, ainda, há aquelas que auxiliam na defesa contra predadores. Os anfíbios adultos precisam viver perto da umidade: sua pele é fina e com pouca queratinização, muito sujeita à perda de água. Uma delgada epiderme, dotada de inúmeras glândulas mucosas, torna a pele úmida e lubrificada, constituindo-se de um importante órgão respiratório.
       Nos sapos, os pulmões são extremamente simples, equivalem a dois "sacos" de pequeno volume e de pequena superfície de trocas gasosas. Essa característica é que aumenta a importância da pele como órgão respiratório. Por isso, cerca de metade da absorção de oxigênio acontece por meio da pele. Dela ela vai para a corrente sanguínea e é distribuído pelo corpo. A pele é bastante úmida, uma característica indispensável para que a troca de gases possa ocorrer. Algumas pessoas, muitas vezes por curiosidade ou até mesmo maldade, costumam jogar sal sobre o animal, nesse momento o mineral suga a água, impedindo que o processo ocorra. O que ocorre muita dor, pois a pele do sapo não possui um revestimento protetor como a dos seres humanos. Por isso é muito sensível. Os anfíbios são os primeiros vertebrados a mudar do habitat aquático para o terrestre. Para se adaptarem ao meio ambiente fora da água, entram diretamente em contato com o ar e começam a produzir sons, a ouvir e ter capacidade de sentir cheiro. O peixe que passa toda a sua vida dentro da água é surdo e mudo. As rãs desenvolvem a audição e coaxam emitindo sons. Além disso, a reprodução dos peixes ocorre totalmente fora do animal. Os espermatozóides fertilizam os óvulos no meio ambiente externo, dentro da água, e é o Sol que oferece o calor necessário para que os pequenos peixes possam se desenvolver dentro dos ovos. Os Anfíbios se reproduzem através de uma primitiva forma de cópula. Isso ocorre dentro do organismo. Existem certamente outros membros do grupo dos Anfíbios além da rã, vários tipos de sapos, espécies de lagartixas e uma grande variedade de salamandras.
         Os anfíbios não são encontrados no ambiente marinho, apenas na água doce e em ambiente terrestre. Apesar de possuir poucos predadores na natureza, os principais são as cobras e as aves de grande porte, a principal fonte de alimento dos sapos são os insetos. Capturam os insetos utilizando sua grande língua. Existem quase 5 mil espécies de sapos na natureza, a maior parte das espécies vive próximo aos rios e lagos, pois a fêmea (rã) necessita de água para por os ovos. Os girinos (filhotes) também necessitam da água para sua sobrevivência, algumas espécies possuem glândulas nas cabeças, onde produzem um veneno tóxico para espantar ou até mesmo matar outros animais que ofereçam algum tipo de perigo.
 
 
    Kátia Alves da Silva
    Bióloga Pós-Graduada em Gestão Ambiental

MAIS NOTÍCIAS
04/04/2014Doenças relacionadas às enchentes
01/04/2014Doenças relacionadas as enchentes - Kátia Alves
06/08/2013Pragas urbanas
01/04/2013Morcegos
12/09/2012Carbono
02/09/2012Dia do Biólogo
14/08/2012Sanguessugas
19/07/2012Baba de caracol
11/11/2011Leptospirose
14/10/2011Biossegurança
29/07/2011Árvore, carvalho
24/06/2011Efeito estufa
06/06/2011Meio ambiente
06/06/2011Meio ambiente
06/06/2011Meio ambiente
04/06/2011Libélula
19/05/2011Limão
13/05/2011Enfermeiro
25/04/2011As minhocas
13/04/2011Leptospirose
06/04/2011Cigarro, o vilão
23/03/2011De remédio a veneno
15/03/2011Aranha Caranguejeira
08/03/2011Perigo em ambiente climatizado
22/02/2011Biodiversidade ameaçada
15/02/2011Cimento e poluição
02/02/2011Chuva ácida
17/01/2011Chuvas e doenças
06/01/2011Sucuri
28/12/2010FcAwuDFeywqV
17/12/2010Aranha Caranguejeira
08/12/2010Chuva ácida
22/11/2010Os jovens e as drogas
11/11/2010Poluição dos rios
09/11/2010Ibama fiscaliza madeireira no distrito do Pacarana
03/11/2010Resíduo hospitalar
28/10/2010O Carrapato
20/10/2010Insuficiência renal e hemodiálise
13/10/2010Árvores do Brasil
04/10/2010Chuva ácida
23/09/2010Mosca
15/09/2010Plantas medicinais
08/09/2010Polinização
31/08/2010Profissão biólogo
25/08/2010Afogamento
20/08/2010Queimadas e poluição
10/08/2010Água de lastro
27/07/2010Desenvolvimento Sustentável
21/07/2010Samaúma
14/07/2010Cobra peçonhenta e não peçonhenta
07/07/2010Formigas (I)
07/07/2010Formigas (I)
29/06/2010A Cigarra
23/06/2010As vacinas
16/06/2010Formigas
16/06/2010Formigas
16/06/2010Formigas
07/06/2010Doença de Chagas
31/05/2010Ameaça à Amazônia
24/05/2010Afogamento
18/05/2010Urubu
05/05/2010Barata
05/05/2010Barata
22/04/2010Prática esportiva ou tortura?
15/04/2010Sapo, rã e perereca
05/04/2010AGROTÓXICOS


WWW.SUASNOTICIAS.COM.BR
© 2010 - Todos os direitos reservados a SUASNOTICIAS