Apesar do tratamento ter corrido como previsto, a família ainda busca por um tratamento eficaz, já que o líquido volta a aumentar rapidamente.

Em entrevista ao G1, a família de Maria contou que ela foi diagnosticada com cirrose hepática, uma doença crônica que atinge o fígado. Uma complicação causada pela doença faz com que ela retenha líquido na barriga, causando o inchaço. Em decorrência disso, ela sofre com dores abdominais e problema para respirar.

Desde setembro a família lutava por um tratamento no hospital municipal, que conseguiram apenas no mês de novembro. O procedimento foi feito em 11 dias de internação, e foram retirados 25 litros de líquido do abdômen de Maria. Porém, segundo o marido da paciente, a retirada é eficaz em um primeiro momento, mas a barriga volta a inchar sem o tratamento adequado.

“Ela precisa de um transplante urgente, já que está com 52 anos. A gente está batalhando, dando todo apoio. Ela não quer morrer, quer viver”, falou Cleyton Nascimento, marido de Maria.

Segundo Cleyton, apesar dele desejar o transplante, tratamento que ajudaria na recuperação mais rápida da paciente, eles ainda precisam passar por uma bateria de exames para ver a possibilidade e determinar qual tratamento poderá ser feito.

De acordo com a família, os exames já estão marcados, e agora eles vão aguardar o resultado para descobrir qual tratamento ajudará Maria Aparecida.