Suas Notícias
ÍNDICE


COLUNISTAS
Jussara Gottlieb
Social
Cândido Ocampo
Auditoria no novo Código
Kátia Alves
Pragas urbanas
Wilson Santos
Trânsito Brasil
Marcelinho
Blog do Marcelinho
Pedro Marinho
Blog do Pedro Marinho
Candido Ocampo
Publicada em 16/09/2010 às 18h19
Desagravo público

      É incontroverso que nos últimos anos a classe médica vem sendo alvo de execração pública. Este fenômeno que ocorre em todo Brasil deu-se início principalmente com o advento do Código de Defesa do Consumidor, que trouxe à tona a real possibilidade de responsabilização do profissional que no exercício do seu mister cause dano a terceiro. Até aí tudo bem, pois incontroverso que aquele que causar dano tem a obrigação de repará-lo. Ocorre que os exageros não são raros, principalmente quando os fatos se referem a profissionais médicos. Com acusações sensacionalistas e infundadas os excessos levam sempre a “execuções sumárias”.  Na mídia a exposição negativa dos médicos nos parece ainda mais intensa e destituída de critérios. Não é difícil ler em jornais ou ouvir em programas de rádio e televisão um paciente, ou seu familiar, se reportar ao profissional como se o mesmo fosse o efetivo culpado pela indisposição ou fatalidade ocorridas, não dando-lhe nenhuma possibilidade de defesa. Acusa-o de negligente e imperito, e o que é pior, com o apoio e o incentivo das redações e/ou do apresentador que não mede esforço para ganhar, às custas da honra alheia, alguns míseros pontos de audiência. Objetivando mitigar as consequências desastrosas e irreversíveis de tais ofensas, o novo Código de Ética Médica, acompanhando o diploma revogado, traz no inciso VII, do seu capítulo II, destinado às normas diceológicas, a possibilidade do profissional “requerer desagravo público ao Conselho Regional de Medicina quando atingido no exercício de sua profissão”.  Vale lembrar que tal dispositivo deontológico não é privilégio corporativista, como pode parecer à primeira vista, mas é corolário do princípio insculpido no inciso V, do artigo 5º da Constituição Federal, que diz que “é assegurado o direito de resposta ao agravo, além de indenização por dano material, moral ou à imagem”. No entanto, o que se observa é a pouca utilização dessa prerrogativa por parte dos facultativos. Talvez pela quase nenhuma ressonância que uma mera certidão do CRM seja capaz de alcançar, além da burocracia e da lentidão inerentes aos procedimentos dessa natureza. É importante lembrar que não somos contrários à divulgação de qualquer fato que mereça ser apreciado pela população, mormente quando envolve os serviços de saúde, seja pública ou privada. Porém, a divulgação de ofensas e acusações destituídas de fundamentos, fruto muitas das vezes da ignorância e até mesmo da falta de ponderação de alguns, são extremamente daninhas e causam prejuízos irreparáveis à honra do ofendido. Tais ofensas também geram o dever de indenizar, muito embora jamais seja devolvido ao médico prejudicado o prestígio que antes gozava, e é exatamente neste ponto que reside a grande responsabilidade que os profissionais da mídia carregam em seu trabalho.

      Cândido Ocampo, advogado atuante no ramo do Direito Médico.

candidoofernandes@bol.com.br  

MAIS NOTÍCIAS
22/10/2014Consulta ou retorno ? Cândido Ocampo
12/08/2014Seguradoras e seus formulários -Cândido Ocampo
06/05/2014Ofensa escusável
10/04/2014É ético prometer a cura ? Cândido Ocampo
11/03/2014O Código de Ética Médica e o consentimento continuado
13/02/2014A consulta e as operadores de planos de saúde
14/08/2013Auditoria no novo Código
26/07/2013Desagravo profissional
05/07/2013Jornada e produção médicas
21/06/2013Alta hospitalar
22/04/2013Diagnóstico preditivo no novo Código
26/03/2013Escusa moral
11/03/2013Hospital: hipoteca social
02/03/2013Biogenética
04/02/2013Disponibilidade obstétrica
28/01/2013Cardiologia intervencionista
28/01/2013Testamento vital (II)
21/01/2013Testamento vital (I)
11/01/2013Formulário de seguradoras
11/01/2013Formulário de seguradoras
15/06/2012Diagnóstico de anencefalia
12/05/2012Receita médica legível
05/05/2012Cota racial: a oficialização do preconceito
20/04/2012Ancenfalia: venceu a razão
13/04/2012Prazo para consulta
08/03/2012Proteção da medicina (II)
02/03/2012 Proteção da medicina (I)
24/02/2012Legista no interior
24/02/2012Legista no interior
10/02/2012Porque o plantão de sobreaviso
03/02/2012Plantão
16/12/2011O assistente e o plantonista à distância
02/12/2011Relação médico-paciente
25/11/2011Abortamento de anencéfalo
18/11/2011Estagiário de Medicina
11/11/2011Formulário de seguro
21/10/2011Biogenética
08/10/2011Requisições de prontuário
22/09/2011Nomeação de perito
29/08/2011Contradição federal
09/08/2011Consulta médica
09/08/2011Consulta médica
09/08/2011Consulta médica
15/04/2011Medicina alternativa
08/04/2011Cardiologia intervencionista
01/04/2011Prescrição de órteses e próteses
25/03/2011Lentes de contato
18/03/2011Médico perito
12/03/2011Obrigação e resultado
08/03/2011Perda de uma chance
25/02/2011Atendimento pré-hospitalar
18/02/2011Transporte inter-hospitalar
11/02/2011Retorno de consulta
19/12/2010Infecção hospitalar
11/12/2010Consentimento continuado
03/12/2010Medicina preventiva
26/11/2010Erro profissional
19/11/2010Renúncia à assistência
16/11/2010Natureza obrigacional do anestesiologista
05/11/2010Autonomia do anestesiologista
29/10/2010Perda de uma chance
24/10/2010Interiorização da medicina
15/10/2010Honorários médicos
08/10/2010Diretoria técnica e clínica
24/09/2010Telemedicina
20/09/2010CRF realiza encontro de sucesso em Ariquemes
16/09/2010Desagravo público
11/09/2010Curso sobre prevenção às drogas será em outubro
10/09/2010Caução Hospitalar
03/09/2010Ato médico
28/08/2010Produção médica
16/08/2010Teoria do risco
06/08/2010Medicina preditiva
22/07/2010VEJA O QUE ACONTECE HOJE NAS NOVELAS
07/07/2010Formigas (I)
01/07/2010Espionagem usa técnica avançada para enviar mensagem
26/04/2010Fraco Ibope de Gugu causa crise na Record
05/04/2010Pronto socorro e Pronto Atendimento


WWW.SUASNOTICIAS.COM.BR
© 2010 - Todos os direitos reservados a SUASNOTICIAS