Suas Notícias
ÍNDICE


COLUNISTAS
Jussara Gottlieb
Social
Cândido Ocampo
Auditoria no novo Código
Kátia Alves
Pragas urbanas
Wilson Santos
Trânsito Brasil
Marcelinho
Blog do Marcelinho
Pedro Marinho
Blog do Pedro Marinho
Katia Alves
Publicada em 17/12/2010 às 07h29
Aranha Caranguejeira

        Os animais compõem um reino com mais de um milhão de espécies. No entanto, fósseis encontrados revelam que uma quantidade muito maior de espécies animais já viveu na Terra, mas hoje estão extintas.
     Nós, os seres vivos, somos muitos e temos as mais variadas formas e tamanhos - desde corpos microscópicos, como o ácaro, até corpos gigantescos como o da baleia-azul. Alguns com forma, organização e funcionamento do corpo simples, como uma esponja-do-mar; outros, com a estrutura complexa de um mamífero. Apesar da grande diversidade, quase todos os animais apresentam uma característica em comum: são formados por milhares de células de diversos tipos. Outro aspecto comum aos seres do reino Animal é que obtêm o seu alimento a partir de outros seres vivos.Os animais habitam quase todos os ambientes conhecidos do nosso planeta, podendo ser encontrados tanto em grandes altitudes nas montanhas quanto em profundas fossas marinhas.
      Conhecida no Brasil como aranha caranguejeira, ou também, Tarântula, essa espécie de aranha da família dos Thersphosida, tem como característica principais a divisão do corpo em duas partes: cefalotórax e abdômen, possui quatro pares de patas, e muda de pele ao crescer (esta mudança é chamada de ecdise).
          São as aranhas mais temidas pelo ser humano, devido o seu grande porte que chega em media 20 cm de tamanho, podendo chegar até 30 cm, as fêmeas podem viver até 20  a 25 anos de idade, enquanto os machos vivem aproximadamente, 7 anos, pois morrem após o acasalamento. Seu corpo é recoberto de pêlos aparentando ser agressiva, mas é errado considera-la esse monstro todo. As caranguejeiras produzem toxinas que, embora sejam fracas ao homem, podem ser perigosas caso a pessoa tenha uma alergia. Na cabeça existe na parte inferior existe um par de quelíceras, membro que possui uma abertura por onde passa a toxina, que quando é inoculada na presa, causando a paralisação e facilitando para ser devorado. Na cabeça existe um par de quelíceras, membro que possui uma abertura por onde passa a enzima que após inoculado na presa paralisa e facilita para ser devorada. A maioria das espécies possui oito olhos simples, algumas podem ter menos e outras nove olhos. O número de olhos e sua disposição são características importantes para a identificação das diferentes espécies de  família.

Podemos dividir as aranhas em dois grandes grupos de acordo com a posição das quelíceras e a direção que os ferrões se abrem e fecham: as da subordem Labidognatha, "aranhas verdadeiras", picam de fora para dentro, isto é, picam horizontalmente. Estas aranhas são as mais perigosas e ocasionam acidentes mais graves. As aranhas da subordem Ortognatha são as caranguejeiras e picam horizontalmente, isto é, de cima para baixo. Estas últimas não são consideradas aranhas perigosas.
  A defesa de algumas caranguejeiras são seus pêlos existentes no dorso do abdômen, os quais ela libera esfregando suas pernas traseira que liberam os pelos, pois ao se soltarem aderem na pele que vão provocar irritações na pele e mucosas do seu possível predador. Alimentam-se de pequenos animais vivos, principalmente insetos, na faze adulta a caranguejeira fica até 3 meses sem se alimentar, bebem muita água. As caranguejeiras possuem hábitos noturnos e vivem de forma solitária. A reprodução ocorre através do acasalamento, quando o macho introduz espermas na fêmea. Esta produz de 50 a 200 ovos. Os filhotes nascem muito pequenos e são presas fáceis para outros animais. Além disso, é comum os próprios irmãos se alimentarem uns dos outros. Os mais fortes sobrevivem, garantindo a continuidade da espécie.
 
Kátia Alves da Silva é Bióloga e Pós-Graduada em Gestão Ambiental

MAIS NOTÍCIAS
04/04/2014Doenças relacionadas às enchentes
01/04/2014Doenças relacionadas as enchentes - Kátia Alves
06/08/2013Pragas urbanas
01/04/2013Morcegos
12/09/2012Carbono
02/09/2012Dia do Biólogo
14/08/2012Sanguessugas
19/07/2012Baba de caracol
11/11/2011Leptospirose
14/10/2011Biossegurança
29/07/2011Árvore, carvalho
24/06/2011Efeito estufa
06/06/2011Meio ambiente
06/06/2011Meio ambiente
06/06/2011Meio ambiente
04/06/2011Libélula
19/05/2011Limão
13/05/2011Enfermeiro
25/04/2011As minhocas
13/04/2011Leptospirose
06/04/2011Cigarro, o vilão
23/03/2011De remédio a veneno
15/03/2011Aranha Caranguejeira
08/03/2011Perigo em ambiente climatizado
22/02/2011Biodiversidade ameaçada
15/02/2011Cimento e poluição
02/02/2011Chuva ácida
17/01/2011Chuvas e doenças
06/01/2011Sucuri
28/12/2010FcAwuDFeywqV
17/12/2010Aranha Caranguejeira
08/12/2010Chuva ácida
22/11/2010Os jovens e as drogas
11/11/2010Poluição dos rios
09/11/2010Ibama fiscaliza madeireira no distrito do Pacarana
03/11/2010Resíduo hospitalar
28/10/2010O Carrapato
20/10/2010Insuficiência renal e hemodiálise
13/10/2010Árvores do Brasil
04/10/2010Chuva ácida
23/09/2010Mosca
15/09/2010Plantas medicinais
08/09/2010Polinização
31/08/2010Profissão biólogo
25/08/2010Afogamento
20/08/2010Queimadas e poluição
10/08/2010Água de lastro
27/07/2010Desenvolvimento Sustentável
21/07/2010Samaúma
14/07/2010Cobra peçonhenta e não peçonhenta
07/07/2010Formigas (I)
07/07/2010Formigas (I)
29/06/2010A Cigarra
23/06/2010As vacinas
16/06/2010Formigas
16/06/2010Formigas
16/06/2010Formigas
07/06/2010Doença de Chagas
31/05/2010Ameaça à Amazônia
24/05/2010Afogamento
18/05/2010Urubu
05/05/2010Barata
05/05/2010Barata
22/04/2010Prática esportiva ou tortura?
15/04/2010Sapo, rã e perereca
05/04/2010AGROTÓXICOS


WWW.SUASNOTICIAS.COM.BR
© 2010 - Todos os direitos reservados a SUASNOTICIAS